Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

A luta pela Europa

Nova realidade para equipas portuguesas

A luta pela Europa


Há uma nova realidade para as equipas portuguesas nas competições europeias. Os prémios aumentaram mas é muito mais difícil chegar lá. Tanto na Liga dos Campeões como na Liga Europa, as vagas diminuíram e em vez de se entrar directamente na fase de grupos, tem que se passar uma série de eliminatórias e às vezes contra equipas de renome internacional. Por exemplo o SC Braga se não fosse eliminado pelo modesto Zorya, ainda tinha mais uma eliminatória para jogar contra o RB Leipzig. E poderia apanhar outros nomes como Olympiacos, o Sevilha ou mesmo o Besiktas, caso o sorteio inicial assim o decretasse. Por isto tudo, a menos que se seja campeão (acesso directo à Liga dos Campeões) ou que se ganhe a Taça de Portugal (acesso directo à Liga Europa) é realmente impossível de se saber se se vai ter direito a uma fatia dos milhões da Europa.

Nesta época já se sabe que Benfica, FC Porto e Sporting são as únicas equipas a representar Portugal nas competições europeias. Mas o que irá acontecer para a próxima época?

1º lugar: fase de grupos da Liga dos Campeões
2º lugar: 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões
3º lugar: 3ª pré-eliminatória da Liga Europa
4º lugar: 2ª pré-eliminatória da Liga Europa
Vencedor da Taça de Portugal: fase de grupos da Liga Europa

Mas há uma nota importante, caso um dos 3 primeiros no campeonato vença a Taça de Portugal, passa a ser o 3º lugar a entrar directo na fase de grupos da Liga Europa, o 4º lugar na 3ª pré-eliminatória e o 5º lugar na 2ª pré-eliminatória. E é precisamente este pequenino pormenor que vai mudar completamente o futebol português, porque os 4 primeiros lugares estão praticamente definidos ano após ano, o que faz sobrar apenas e só uma vaga para as restantes equipas e a melhor maneira de a obter é ficar em 5º lugar. E quem é que irá garantir este lugar?
Para esta corrida ao ouro, há nitidamente dois clubes que partem em vantagem: Vitória SC e Rio Ave FC.

Luís Castro continua à frente da equipa do Vitória de Guimarães e neste mercado de transferências encaixou mais de 10 milhões com as vendas de Raphinha, Konan, Paolo Hurtado e Rafael Martins, o que lhe dá possibilidades de se reforçar em Janeiro, caso haja necessidade de um ou outro retoque no plantel. Mas não me parece que seja necessário, já tinham um plantel equilibrado no ano passado e este ano entraram Ola John, Dodô (emprestado pelo Shakhtar Donetsk), Alexandre Guedes e Davidson, tudo jogadores com provas dadas nos principais escalões. Não esquecer que é o 4º clube de futebol com mais sócios em Portugal e é uma equipa muito forte quando joga em casa. Provavelmente, a única equipa que tem condições de ir além do 5º lugar, mas vai ser muito difícil porque o Braga já se despediu da Liga Europa, logo vai centrar as atenções nas competições internas, o que provavelmente nos leva a um Braga a lutar pelo 2º lugar até ao final. De qualquer forma, nota-se perfeitamente que a estratégia do Vitória assenta numa lógica de continuidade e estabilidade e está a apostar forte na aproximação ao SC Braga. Ou é agora ou nunca, porque o Rio Ave está à espera de deslizes.

O Rio Ave teve uma abordagem diferente na preparação desta época. Apesar de ter realizado um encaixe avultado com as vendas de Pelé e João Novais e ter perdido jogadores importantes como Marcelo, Lionn e Cássio e ter visto o seu talentoso treinador Miguel Cardoso deixar o clube, o Rio Ave reforçou-se com Bruno Moreira, Afonso Figueiredo, Fábio Coentrão e Galeno como nomes mais sonantes e deixou a equipa entregue a um treinador pouco experiente. Penso que esta estratégia se deve principalmente por verem que o Vitória SC está tão forte, que é preferível uma política de contenção e aposta na valorização dos jogadores. Só assim se entende, o facto de terem uma defesa tão jovem, arriscando assim a perca de pontos devido à falta de experiência desse sector. Mesmo assim, será sempre um candidato forte ao 5º lugar, só tem que aproveitar os deslizes dos concorrentes directos. Makaridze na baliza dá segurança e o Rio Ave já nos habituou a vencer muitos jogos em casa.

Caso se classifiquem para a fase de grupos para a Liga Europa, estas equipas conseguem um encaixe na ordem dos 11 milhões de euros, o que permite uma possibilidade de investimento muito interessante, visto que os orçamentos para a época da maioria dos clubes da 1a liga são na ordem dos 5 milhões por época ou menos. Caso se tivessem qualificado para a fase de grupos já este ano, o fosso para as outras equipas seria ainda maior o que naturalmente traz uma pressão acrescentada.

Na minha opinião, estes 6 clubes irão dividir os lugares cimeiros da liga, sem querer desprezar as outras equipas. Marítimo, Boavista e Belenenses têm muitos anos de 1a liga e são fortes no seu reduto mas ainda estão bastante abaixo. Feirense e Chaves têm um plantel muito equilibrado, muito bons treinadores e uma estabilidade financeira que lhes permite lutar por mais do que a permanência, mas o objectivo de chegar à Liga Europa é (ainda) muito ambicioso para equipas que num passado recente, combatiam no segundo escalão. O Vitória FC, Desportivo de Aves, Tondela e Moreirense podem ter esperança, já que têm treinadores experientes e que nos habituaram a bom futebol, mas não será surpreendente ver uma destas equipas a descer de divisão no final da época. O Santa Clara e o Nacional subiram este ano, o que os torna nos mais fortes candidatos à descida, contudo, a 2ª Liga Portuguesa está muito competitiva desde a entrada das equipas B e por isso podem surpreender, principalmente no início da época. Sobra o Portimonense. O Portimonense é um caso que ainda não consigo ter uma opinião concreta. Por um lado, António Folha substitui Vítor Oliveira no comando técnico, o que à primeira vista faz com que se pense que está mais fraco em relação à época passada. Por outro,perderam Fabrício, mas seguraram Nakajima e para terminar, a entrada de Jackson Martinez para o ataque deixa qualquer um confuso. Será que um jogador deste calibre se consegue manter motivado numa equipa longe dos holofotes? E se isso acontecer, será que continua no clube ou sai em Janeiro?

Texto por Pedro Barreto


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar