Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

As minhas escolhas - UEFA EURO 2016

EURO 2016 - Grupo F

As minhas escolhas - UEFA EURO 2016

 

Portugal

Claramente favorito a ganhar o grupo. Muito mais forte individualmente que Áustria, Hungria e Islândia. O 4x4x2 losango vai ser o sistema de jogo utilizado em circunstâncias normais. Isso esconde o problema crónico de não haver um 9 com qualidade na selecção mas provoca o deslocamento de Ronaldo para o centro, com menos espaço para receber e poder enquadrar como tanta gosta.

Na defesa a única surpresa poderá ser Vieirinha em vez de Cedric. A diferença entre ambos é pequena. A minha escolha é sobretudo pelo que mostraram nos amigáveis. O mesmo se passa com Guerreiro, com uma diferença, a diferença entre este e Eliseu é muito maior.

No meio, Danilo ou William trazem o mesmo à equipa. João Mário e André Gomes são neste momento indiscutíveis. João Moutinho vai provavelmente jogar no lugar onde eu ponho Nani. Moutinho está num momento de forma péssimo e vai jogar sobretudo pelo equilíbrio que dá e que Nani não consegue dar. No entanto, olhando para os adversários, diria que vai ser mais difícil desequilibrá-los do que eles desequilibrarem.

Na frente, e depois de todo o entusiasmo gerado à volta do jogo com a Estónia, o mais provável é Quaresma ser opção no onze (a não ser que esteja com problemas físicos), mas comigo Quaresma dificilmente faria parte dos titulares. A capacidade que este tem para destruir oportunidades de criar perigo não são escondidas pelos lances individuais que inegavelmente consegue inventar. O proveito não compensa, de maneira nenhuma, o risco. Acho que Rafa tráz à equipa aquilo que ela precisa na frente, jogo entre linhas libertando Ronaldo para receber a bola com espaço e velocidade para atacar a baliza em profundidade.

 

Áustria

Excelente campanha de qualificação e potencial para disputar o grupo com Portugal. Tem em Alaba a sua grande estrela e pode jogar em qualquer posição (já jogou a lateral, central, médio e extremo). Arnautovic é um criativo e pode fazer uma boa prova. Nota para Marc Janko que foi jogador do FC Porto em 2011/2012 e será certamente o avançado de serviço na selecção Austríaca.

Hungria

Discutir o terceiro lugar com a Islândia será o mais provável para esta selecção pouco habituada a fases finais nos últimos anos. Um dos seus jogadores mais famosos é Király, o seu guarda-redes, de 40 anos. Outro, com larga experiência na Premier League é Zoltan Gera, 37 anos. Muito pouco para poder ambicionar mais.

Islândia

Do mesmo da Hungria, depende sobretudo da capacidade de concentração e de sofrimento dos seus jogadores do que so seu talento. Estreante em fases finais, não tem nada a perder, o que lhe permite abordar o jogo sem pressão alguma. Sigurdsson é o jogador mais sonante e criativo. Teve o ponto alto da sua carreira no Tottenham. Uma prova de bom nível pode catapultá-lo novamente para uma equipa 


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar