Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

Resumo da fase de grupos

UEFA EURO 2016

Resumo da fase de grupos

Grupo A

A França, tal como avançámos, acabou por jogar com três médios. A surpresa foi a escolha de Kanté em vez de Diarra. Tudo o resto foi o esperado. Saiu Coman para entrar o terceiro médio e Griezman caiu para a ala. Nesta primeira fase Payet foi a figura do grupo com golos decisivos e com capacidade para criar desequilíbrios com grande facilidade. Os anfitriões ganham o grupo com facilidade e as debilidades defensivas que antevimos ainda não foram exploradas por falta de qualidade dos adversários. Vai defrontar a Rep. Irlanda nos oitavos e estará previsivelmente nos quartos.

Os helvéticos asseguraram naturalmente a segunda posição e apenas a fraca performance de Shaquiri até ao momento pode ser notícia. De resto, uma equipa arrumada, sem grande intensidade e que é sempre difícil de bater. Contra adversários mais fortes baixa as linhas e sofre poucos golos. Joga contra a Polónia nos oitavos. Jogo muito disputado mas em que aposto na passagem dos polacos.

A Roménia é a primeira desilusão da prova. Conseguiu ficar em último com 1 ponto (empate com a Suiça) e sem um único motivo de interesse. Muito pouco, mesmo para uma selecção sem grandes ambições nesta prova. Stanciu era a minha grande esperança para esta equipa mas não esteve ao seu nível.

A Albânia acabou por ser uma boa surpresa e podia ter conseguido o apuramento nos melhores terceiros, após vitória contra a Roménia. Perdeu o lugar para Portugal no último dia da fase de grupos. Excelente prova para o lateral Hysaj que aparentemente já assinou pelo Arsenal. Cana foi expulso no primeiro jogo e foi suplente no terceiro.

 

Grupo B

Inglaterra seria a mais provável vencedora do grupo mas deixou-se ultrapassar pela País de Gales, sobretudo devido ao empate com a Rússia (onde a Inglaterra foi claramente superior). Eric Dier é neste momento indiscutível no meio campo à frente dos centrais. Joga bem em qualquer lugar, mas penso que tapa a entrada de Wilshere e podia dar melhor solução a central, no lugar de Cahill, que considera um jogador banal, sobretudo no momento ofensivo. Tem qualidade para continuar a melhorar como equipa e ter uma palavra a dizer na disputa do título. Joga com a Islândia e tem obrigação de passar.

Outra desilusão nesta prova: a Rússia. Apesar de gostar da ideia de jogo do seleccionador, esta foi completamente destruída pela qualidade individual dos defesas. Erros atrás de erros em todos os jogos. Fizeram um ponto que não mereceram, no empate tardio com os ingleses. Vão para casa com muito para pensar, com o Mundial em casa à porta. Não sei se vão a tempo de mudar muita coisa até 2018 e o seleccionador já deu indicação que não deverá continuar. Vida difícil no leste.

País de Gales - uma das surpresas da prova, mais em termos de resultados (primeira do grupo) do que em qualidade de jogo. Todos os pontos ganhos pela qualidade individual dos três que avancei nas "minhas escolhas". Bale, Ramsey e Allen foram o motor e as rodas duma equipa que, sem expectativas, consegue defender com 10 atrás da linha da bola e explorar o contra ataque sem qualquer tipo de problema. Tem como adversário nos oitavos a Irlanda do Norte. Estou curioso para perceber como vão encarar um jogo em que vão ter que assumir as responsabilidades de atacar. Em princípio passam com um livre ou um canto de Bale.

Ao contrário do que avancei inicialmente, a Eslováquia sabe ter a bola. Nesse capítulo foi uma agradável surpresa: muitas linhas de passe (interiores e exteriores), alguma qualidade com bola e boas movimentações. Falta alguma organização defensiva e cuidar das transições para dar um salto qualitativo. Com quatro pontos foram dos 4 melhores terceiros e defrontam a Alemanha no oitavos. Em princípio ficam por aí.

 

Grupo C

A actual campeã mundial foi o que todos esperam que seja: dominadora, sempre com bola e sempre com uma variabilidade tremenda. São pacientes e variam o jogo quando o contexto o pede, mas também são objectivos e usam os corredores para cruzamentos quando a equipa está preparada para tal. Não são o Bayern de Guardiola, conforme eu disse, mas têm qualidade individual para dar e vender. Claramente os mais sérios candidatos à vitória. Em princípio ultrapassam a Eslováquia. Ficaram no "lago dos tubarões" e podem encontrar Espanha nos quartos. Lindo!

A Ucrânia devia ter conseguido pelo menos o terceiro lugar e acabou a prova com zero pontos e sem grande coisa para relembrar no futuro. Disputou o jogo com a Alemanha de forma briosa e teve até oportunidades para empatar o jogo. Contra as equipa mais fracas do grupo não foi capaz de fazer valer os seus trunfos a acabou mesmo por perder contra a Irlanda do Norte.

Uma Polónia forte foi o que chegou a esta prova. A qualidade individual sempre lá esteve, mas a atitude com que entraram nesta prova pode indiciar grandes coisas e esconder as debilidades defensivas que às vezes evidenciam. Não ataca muito mas ataca bem e quando é altura disso. Essa paciência faz com que não se exponha em demasia. Vai defrontar a Suiça num jogo que adivinho equilibrado. Vai sair vencedora.

A Irlanda do Norte sem qualquer ambição à partida para França conseguiu vencer a Ucrânia e fazer os três pontos suficientes para passar aos oitavos. É sempre a equipa mais fraca em campo e por isso defende com muitos e sempre muito próximo da baliza. Sofreu apenas dois golos (contra Alemanha e Polónia) e por isso pode ter uma palavra a dizer contra o País de Gales. Nenhuma das equipas gosta de ter a bola por isso o jogo vai ser frenético. Em princípio Bale vai deixá-los pelo caminho.

 

Grupo D

Espanha a mostrar o que pode fazer e a ganhar os dois primeiros jogos sem grandes problemas. Conforme avancei no início da prova, é na transição defensiva e na lentidão da equipa após a perda que esta equipa pode deitar tudo a perder. No entanto ofensivamente é tudo o que sempre foi. Qualidade com bola, muita paciência e combinações até mais não. Nolito fez uma excelente prova até agora e é titular neste momento (Tiago Alcântara ficou no banco). Defronta Itália nos oitavos num jogo que vai ser interessante. Vai passar dificuldades contra os mestres do contra ataque. Em princípio passa aos quartos.

A Croácia mostrou tudo o que disse inicialmente. Muita qualidade, posse objectiva, criatividade, Modric e Rakitic num nível altíssimo e Perisic num nível alto. Defensivamente com alguns problemas em momentos do jogo em que o ritmo baixa, mas no global, excelente campanha. Estranho a pouca utilização de Kovacic, mesmo quando Modric não jogou por lesão. Defronta Portugal nos oitavos num jogo que se adivinha dos melhores da prova. Se passar esta fase pode chegar à final sem grandes surpresas. Espero que não passe.

Turquia e Rep. Checa mostraram pouco futebol e ficam naturalmente pelo caminho. Na Turquia, Çalhanoglu e Turan desiludiram muito e Sahin nem foi opção. Acabou com três pontos e ainda sonhou com a qualificação, mas a derrota por 3-0 com a Espanha retirou-lhe essa possibilidade. A Rep. Checa terminou com um ponto num jogo em que a Croácia desligou após o 2-0 e permitiu ainda a recuperação. Muito a renovar nos Checos se querem voltar às grandes equipas antes da separação da Checoslováquia.

 

Grupo E

Bélgica a disputar o primeiro lugar como se previa e a ficar em segundo apenas derrotada pelo cinismo Italiano do costume. Hazard em bom plano a levar a sua equipa para o nível que previa. Lukaku a fazer os golos que prometeu desde sempre. Próximo adversário é muito mais fraco e deve ser presa fácil. Bélgica nos quartos.

Itália a ser Itália nesta prova. Muita gente a defender e linhas baixas para aproveitar espaço nas costas, sobretudo com equipas de bom nível (como a Bélgica). Nada de relevante a acrescentar no jogo dos Italianos tirando a grande disponibilidade física de Eder (Brasileiro naturalizado) e da capacidade que esta equipa tem para sofrer sem bola. Defronta a Espanha nos oitavos e em princípio fica por aqui.

Suécia e Rep. Irlanda disputaram o terceiro lugar como seria de prever. Melhor sorte para os Irlandeses sobretudo por terem apanhado uma Itália já apurada no último jogo. Nada de especial em nenhuma das duas equipas. Irlanda sempre com grande capacidade de sofrimento e crença até ao último segundo e Suécia ultradependente da magia de Ibra (que abandona a selecção). Com quatro pontos a Irlanda está no oitavos e defronta a França. Em condições normais, os brilhantes adeptos Irlandeses despedem-se do euro 2016. Merecem sempre tudo.

 

Grupo F

A maior desilusão desta fase final: Portugal. Contra adversários muito mais fracos individual e colectivamente que a nossa selecção, não foram capazes de ganhar um jogo! A passagem aos oitavos esteve em dúvida até ao último minuto e não fossem as regras novas e estariam neste momento de férias. Decisões de Fernando Santos quase sempre incompreensíveis (Rafa aos 88' com um empate, Moutinho sempre titular, Danilo por Nani no empate com a Hungria) e a mostrar que está focado em passar esta fase e depois logo se vê. Recordo o que disse antes de começar o euro: "João Moutinho vai provavelmente jogar no lugar onde eu ponho Nani. Moutinho está num momento de forma péssimo e vai jogar sobretudo pelo equilíbrio que dá e que Nani não consegue dar. No entanto, olhando para os adversários, diria que vai ser mais difícil desequilibrá-los do que eles desequilibrarem.(...) Acho que Rafa trás à equipa aquilo que ela precisa na frente, jogo entre linhas libertando Ronaldo para receber a bola com espaço e velocidade para atacar a baliza em profundidade." A seguir vem a Croácia e ou a dinâmica melhora muito ou acaba-se a prova. Defensivamente, contra adversários dos mais fáceis da prova, concedeu sempre oportunidades flagrantes de golo. Salva-se Ronaldo com mais uma prova do seu nível, com golos, com atitude e a puxar a equipa para a frente. Talvez algum exagero nas bolas paradas.

Nada a acrescentar em relação às outras três equipas. São de nível muito semelhante e qualquer uma podia fazer pontos suficientes para passar à fase seguinte. Calhou à Hungria e à Islândia, mas foi sobretudo por inoperância de Portugal. Em princípio ficam as duas pelo caminho nos oitavos.


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar