Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

Sporting em crise

Rugido ou grito?

Sporting em crise

É verdade que o Sporting tem que impreterivelmente ganhar todos os jogos até ao final do campeonato, isto para 1) ser campeão 2) ou apurar-se diretamente para a fase de grupos da Champions 3) ou garantir o play-off de acesso à Champions.

Apesar de ser cedo demais para previsões (a procissão não vai no adro, mas já estamos em Janeiro), uma vez que falta uma volta do campeonato, a verdade é que o Sporting em Chaves demonstrou um futebol fraco como tem vindo a ser habitual. Tem Adrien, William Carvalho e Gelson em perda, e apenas Bas Dost afirma-se como a grande contratação da época.

Bruno de Carvalho tomou a decisão de ir ao balneário no final do jogo de Chaves. Existem relatos de alguns jornalistas presentes nos corredores de acesso aos balneários de uma conversa acesa e quente entre BdC e os jogadores.

Que mensagem quis passar Bruno de Carvalho com a ida ao balneário logo após o jogo? No momento em que os seus profissionais estavam com o orgulho ferido, gorados da oportunidade de encurtar distâncias para o Benfica, colocar a pressão no Porto, e com a possibilidade de consolidar o terceiro posto. Pois, o momentum. O estado de sítio dos de Alvalade é demais evidente.

O Sporting tem de ganhar em Chaves para a Taça de Portugal. BdC depende deste resultado tanto quanto Jorge Jesus. Vem aí tempos decisivos para esta direção, e a sua estratégia está a ser posta à prova em toda a linha. Já não há nem competições europeias nem Taça da Liga. O campeonato está difícil. Serão umas eleições interessantes até do ponto de vista dos resultados, vicissitudes de um calendário eleitoral no último terço da época.

Por outro lado começa a contestação dos adeptos em redor de JJ. Terá JJ ainda o apoio incondicional por parte de BdC?

Outra questão relevante é o blackout do Sporting. Afinal há blackout ou não? A verdade é que houve necessidade dos capitães virem ao canal do clube esclarecer "uma conversa normal" entre as partes, como que de uma justificação inevitável e inadiável se tratasse. Em que é que ficamos? Comunicam ou não comunicam?

 

Texto por Daniel Moura


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar