Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

Sálvio e o futebol moderno

Sobrevalorização dos aspectos físicos em detrimento dos aspectos decisionais

Sálvio e o futebol moderno

Sálvio é provavelmente um dos jogadores mais sobrevalorizados do nosso campeonato. Posso afirmar mesmo que Sálvio é pouco melhor do que banal, sabendo que é uma afirmação muito controversa. E é controversa sobretudo porque a maioria dos adeptos (e a generalidade dos comentadores, que não passam de adeptos) ainda vêm o futebol como se estivéssemos nos anos 90.

Nos anos 90 Sálvio seria dos melhores extremos da europa com facilidade uma vez que o futebol dessa altura privilegiava o individual, o físico, o 1x1, o choque, a "garra" ou a capacidade volitiva. Nestes aspectos Sálvio é de facto muito bom.

No entanto passaram 30 anos e o futebol mudou. O cérebro passou a ser a parte do corpo mais importante do jogador, sobretudo porque o jogo é mais rápido, mais complexo (porque as ligações entre os jogadores são maiores), mais colectivo, com menos espaço e menos tempo.

A sequência seguinte é apenas um exemplo do que estou a tentar explicar. Sálvio vê o jogo como constantes situações de 1x1 que tenta sempre resolver com a velocidade, o drible, o choque e a garra. Só o que o jogo hoje é muito mais do que isso...

Passou um segundo (um segundo no futebol de hoje é uma eternidade) e a situação melhorou. Continua 4x1 mas numa zona mais próxima da baliza. É só fazer um passe para o espaço e a situação está resolvida.

Passaram cinco segundos (inacreditável o tempo que Sálvio teve para resolver uma situação simples) e estamos no momento imediatamente anterior ao remate. Mesmo nesta situação era possível resolver tudo com um passe. E Sálvio viu os colegas em melhor posição durante este percurso. No entanto Sálvio não percebe o jogo desta forma. Para ele a melhor solução passa sempre por usar as suas armas. Foi assim que cresceu e se fez jogador. Foi sempre por ser mais rápido, mais forte e mais agressivo (fisicamente) que Sálvio deu nas vistas e é por isso que na sua cabeça as situações se resolvem desta forma.

Não quero dar a impressão de ser fundamentalista, mas sou da opinião que neste momento Sálvio não tem lugar como titular na equipa do Benfica. E não é por ser pior do que já foi. Sálvio é o mesmo (tirando obviamente as fases das lesões) que era quando chegou ao Benfica. O Benfica é que não é o mesmo! Ver Sálvio destruir situações onde se poderia criar perigo optando constantemente pelo drible, pelo cruzamento ou pelo remate quando as situações claramente pedem uma combinação é ridículo. Mas é ainda mais ridículo porque no banco está Cervi, Rafa ou Zivkovic, que resolvem as mesmas situações com combinações. Percebem que o futebol hoje é um jogo colectivo de passe, de combinação, de tabela, de desmarcação. Tudo para que na situação seguinte o portador esteja em melhor situação.


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar