Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

O Gigante que se comporta como Anão...

Jogo Borussia Dortmund - Benfica em análise

O Gigante que se comporta como Anão...

Tenho uma enorme dificuldade em aceitar, mas mesmo uma enorme dificuldade, que o Borussia de Dortmund possa ser superior ao Benfica... E por muito estranho que possa parecer, não foi esta eliminatória que me desfez essas dúvidas. Passo a explicar...

Se fizermos uma comparação individual das equipas, metade dos jogadores do Borussia encaixaria no onze do Benfica e metade dos jogadores do Benfica encaixaria no onze do Borussia, por isso creio que não seja essa a grande diferença. O que vislumbro, é uma questão de dinâmica de equipa, de táctica, de leitura de jogo e de ambição.

O Benfica comportou-se como uma equipa pequena. Não na perspectiva de dar iniciativa de jogo mas da sua postura, desde o primeiro minuto da primeira mão até ao último minuto da segunda, com excepção de um período entre os 10 e os 55 minutos da segunda mão, altura em que, de facto, pôs o Borussia em sentido.

Repare-se que em Lisboa o futebol do Benfica foi de defender ao máximo não com objectivo de construção mas de pura destruição, isto é, pontapé para a frente, sem conseguir dar dois ou três toques seguidos. Na Alemanha muito me indignou no final do jogo, apesar da derrota por 4 a 0, o treinador Rui Vitória falar como se nada se passasse e que o resultado teria sido algo de normal... O Benfica perder 4 a 0, é tudo menos normal.. É uma humilhação!! Seja contra quem for! E quem aceita esse resultado como normal, não pode estar por dentro do que é o universo Benfica. O Benfica ganhar 1 a 0 em casa ao Borussia, nos termos em que jogou, é uma humilhação... Mas parece que está tudo bem. Aceitamos que eles são melhores, que 4 a 0 até foi um bom resultado, pois 5 ou 6 seria bem pior e a vida continua... Fiquei com a sensação, quando estava 3 a 0, que se aceitava o resultado com tranquilidade, pois a partir dos 4 é que estaríamos perante uma goleada. É a postura típica de uma equipa de meio da tabela do campeonato português que caso tivesse obtido este resultado em Dortmund poderia ficar de consciência tranquila, pois 4 a 0 seria um resultado normal. Isto não pode ser o Benfica!!!!

Mas até na forma em como o Benfica reage perante a evidência que foi ter sido prejudicado nesse jogo, com um penalti claro a seu favor não assinalado e uma expulsão em que o cartão ficou no bolso, me parece de uma conformação anormal, onde tudo se aceita com naturalidade. Mesmo jogando pouco, o penalti e a expulsão alterariam, possivelmente, o rumo da eliminatória mas nem isso é abordado. Se os mesmos lances ocorressem no nosso campeonato, cairia o Carmo e a Trindade e os lances seriam explorados até ao tutano... Como foi lá fora, é tudo normal e tudo se aceita. Porquê? Porque nos comportamos como equipas pequeninas, sem mentalidade para enfrentar os que teoricamente são superiores a nós e vamos ao encontro do que há dias escrevi: temos uma bitola para a Europa e outra para o Campeonato Português.

O Benfica pode dar mais, muito mais, mas precisa de uma mudança, de alguém que prepare a equipa tacticamente da melhor forma para enfrentar os jogos "olhos nos olhos". Que sinta quando perde desta forma, sabendo que tem equipa para muito mais. Não é preciso perceber muito de futebol para entender que a táctica utilizada por Rui Vitória contra o Borussia até pareceu a mais adequada. Mas depois logo falha quando, por exemplo, coloca Mitroglou e não Jimenez. Mitroglou é um avançado estático, que resulta quando o caudal ofensivo da equipa é enorme, o que não seria o caso concreto deste jogo. Precisaria o Benfica de alguém mais móvel, com maior capacidade de pressão e de ajuda aos companheiros de equipa a defender. Mas este é só um exemplo.

Não passa de uma opinião mas há que alterar a nossa mentalidade para que nos possamos impor na Europa. Lembro-me de há uns anos atrás, o Boavista participar na Liga dos Campeões e com um plantel indiscutivelmente inferior ao dos colossos europeus, conseguir empatar, por exemplo, em Liverpool. A diferença era a mentalidade, a capacidade de não sobrestimar o adversário e de não subestimar as capacidades da própria equipa.

Uma nota final para os nossos comentadores. Enquanto os seus comentários - que foi o que assisti no caso do Borussia de Dortmund contra o Benfica - forem no sentido de que os outros são de outro campeonato, de outro mundo, de outro futebol, fazendo-nos acreditar que temos um futebol ao nível do Nepal, vão-nos fazer esquecer que somos campeões da Europa de Futebol e seremos os eternos gigantes a comportarmo-nos como anões...

Texto por João Lopes


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar