Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

Breves sobre a vitória do Sporting CP nas meia-finas da taça

Os erros individuais do SL Benfica e Bruno Fernandes

Breves sobre a vitória do Sporting CP nas meia-finas da taça

Com uma vantagem magra trazida da primeira mão e com o Sporting arredado de todas as outras competições seria de esperar aquilo que aconteceu nos primeiros minutos do jogo.

Leões mais agressivos sobre a bola e sobre os adversários e o Benfica mais pragmática mas sem conseguir ter a bola para controlar. Apesar da vantagem nos duelos os de Alvalade não criaram oportunidades de golo na primeira parte e só chegaram à baliza em remates de fora da área.

O Benfica sem pressionar como costuma e com muita dificuldade em reter a posse por mais do que 3 passes consecutivos teve duas situações em que conseguiu fazer chegar a bola a zonas interessantes mas uma por desvio de Borja outra por decisões erradas de Rafa e Seferovic (vídeo a seguir) não chegaram à finalização.

Na segunda parte o ritmo manteve-se e o Sporting criou perigo num livre de Bruno Fernandes (quem mais?!) à trave de baliza de Svilar.

O Benfica respondeu com uma remate de Jonas dentro da área em zona frontal após passe de Pizzi, que podia ter criado mais perigo.

O jogo continuou mais quezilento do que bem jogado com o Sporting a carregar sempre mais mas sempre de forma desorganizada e de forma individual. Aos 74 minutos e após dois erros individuais consecutivos o Sporting fica em vantagem no marcador e na eliminatória.

 

Depois do golo o Benfica passou a tomar conta da jogo e dois minutos depois podia ter empatado após cabeceamento na pequena área de Seferovic (semelhante ao golo que fez ao Tondela no jogo anterior) mas os nervos tomaram conta da jovem equipa encarnada (tinha em  campo Svilar, Ruben Dias, Gedson e João Félix) que começou a tentar fazer tudo depressa demais e com o mesmo critério que vinha do resto do jogo.

O resultado costuma fazer as pessoas acreditar em coisas que o jogo não mostrou e este é mais um exemplo claro disso mesmo. O Benfica tem condições individuais e colectivas para fazer melhor e isso dá a sensação que o resultado foi justo porque o Sporting conseguiu equilibrar com a agressividade, mas a verdade é que de forma fria é fácil perceber que o resultado mais justo seria o empate (com golos).


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar