Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

UEFA Europa League: Eintracht Frankfurt 2-0 SL Benfica

Meio campo desorientado e Fejsa completamente fora

UEFA Europa League: Eintracht Frankfurt 2-0 SL Benfica

O Benfica trazia de Lisboa uma vantagem de 2 golos, mas a maioria percebeu que algumas das facilidades do primeiro jogo se deveram ao facto de terem jogado fora e com 10 durante mais de setenta minutos.

O jogo na Alemanha seria de exigência máxima e Lage sabia-o como ninguém. Trocou apenas Jardel e Fejsa em relação ao jogo anterior, mas ainda assim foi demasiado. E foi assim porque o sérvio está totalmente fora de forma e já o tinha demonstrado em Alvalade com uma exibição miserável.

Desde os primeiros minutos que se percebeu que a interacção entre Samaris e Fejsa ia ser problemática e que os problemas detectados em Alvalade estavam longe de estar resolvidos.

Lage tem a desculpa de ter entrado na equipa na fase mais carregada de jogos da temporada, o que lhe tem deixado pouco tempo para treino aquisitivo.

O mesmo se pode dizer de Fejsa que regressou numa altura com jogos de 3 em 3 dias, sem tempo para adquirir novas ideias tranquilamente e depois transferi-las para o jogo. No primeiro golo alemão, mais do mesmo: Fejsa atraído para a bola sem ajustar ao posicionamento do colega de posição e Samaris ajuda afundando em demasia.

Aqui mostramos um exemplo inequívoco da forma desportiva de Fejsa. Não são apenas os comportamentos colectivos que não estão bem, individualmente o sérvio é uma sombra do que já foi e tem muito para melhorar se quer voltar a ser opção no onze encarnado.

Mesmo nos princípios mais básicos do posicionamento o sérvio comete erros infantis. A cobertura defensiva faz-se entre o portador e a baliza (a zona mais importante do jogo) na diagonal para aumentar a zona coberta e suficientemente próximo para poder dobrar a contenção caso esta seja ultrapassada. No segundo golo Fejsa faz tudo ao contrário em situações onde sempre foi fortíssimo.

A verdade é que apesar do discurso de Lage após o jogo na Alemanha ter sido de união, sem individualizar, dizendo que nunca abandona ninguém (respondendo a uma pergunta sobre a utilização de Jardel e Fejsa), no jogo com o Marítimo o médio sérvio nem foi convocado e não me lembro de ter sido noticiada qualquer indisposição física.


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar