Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

Análise da 8ª Jornada da Liga NOS

A queda do líder surpresa

Análise da 8ª Jornada da Liga NOS

 E à 8ª jornada o Famalicão cedeu...

 O líder do principal campeonato português, o surpreendente Famalicão caiu no Dragão frente a um Porto que não deu hipóteses, e logo por 3 golos sem resposta. Com esta vitória, os portistas são os novos lideres com os mesmos pontos que os rivais Benfica, já os famalicenses caíram para o terceiro posto da classificação.

 O Benfica venceu pela margem mínima na visita a Tondela que vendeu cara a derrota. Um golo solitário de Ferro, deu os 3 pontos à turma de Bruno Lage. Mas as criticas dos adeptos encarnados têm subido de tom face ás exibições pouco conseguidas da equipa, onde nem sempre tem agradado.

 Quem regressou às vitórias internas foi o Sporting de Silas, com uma vitória feliz frente a um Guimarães competente e com muita qualidade, depois da humilhante derrota e eliminação aos pés do Alverca na Taça de Portugal.

 Foi uma vitória bem conseguida, embora não tenha sido fácil, pois os leões continuam a revelar algumas deficiências na construção de jogo, mas desta vez foram eficazes nas oportunidades criadas. Com este triunfo, os pupilos de Silas sobem assim ao 4º lugar, juntamente com o Braga que recebeu e venceu o Santa Clara por 2-0.
 Os guerreiros do Minho deram boa sequência aos bons resultados que têm conseguido, principalmente na Liga Europa, e estão colados ao Sporting na classificação.

 No fundo da tabela continua o Aves e no primeiro jogo após o despedimento de Augusto Inácio, nova derrota 3-2 na visita ao Jamor frente ao Belenenses. Foi um jogo disputado com muita intensidade, com o Aves a estar a vencer por duas vezes, mas sem conseguir pontuar.

 Nos outros encontros, destaques para os empates do Rio Ave em Paços de Ferreira, do Boavista no sempre difícil terreno do Moreirense e do Portimonense em Barcelos. Uma repartir de pontos que não agradou a todos, que o digam os adeptos boavisteiros que viraram as costas aos seus jogadores no final do jogo, quando estes lhes vieram agradecer o apoio.

 Outro empate, desta vez a zero no marcador, mas num jogo pobre, sem ideias e mal jogado, foi o Setúbal e o Marítimo que deixaram os seus adeptos à beira do sono e a principal consequência, foi o despedimento do treinador sadino, Sandro Mendes.

 As chicotadas psicológicas esta época têm sido uma constante e já são vários os clubes que já mudaram de treinador, que é sempre o elo mais fraco quando os resultados são negativos.

 

Filipe Simões

 

 


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar