OndeBola - Onde dá a Bola?

Artigo de Opinião

Quer escrever artigos de opinião? Contacte-nos aqui!.

CRISE DO BENFICA - Contestação aumenta a cada dia

"Vieira rua, Vieira sem rumo"

CRISE DO BENFICA - Contestação aumenta a cada dia

O mundo é redondo e gira.

Hoje um clube consegue estar nas ruas da amargura para passado uns meses estar no topo e vice versa. Há uns meses assistíamos ao " Varandas Out " hoje as palavras de ordem são as " Vieira Rua " ou " Vieira sem Rumo ".
 A crise mudou de lado na Segunda Circular, no futebol não é só pandemia e os clubes são afetados nas suas contas por não poderem ter público nos estádios, por isso foi surpreendente o investimento feito pelo Benfica em plena pandemia. Recorde-se que os encarnados investiram mais de 100 milhões na construção do plantel para a época que terminou à poucas semanas e também fez regressar o treinador Jorge Jesus que foi também um bom investimento e tudo junto culminou sem qualquer título conquistado.

O Benfica é o clube português que financeiramente apresenta uma saúde mais saudável, e por isso mesmo, é aquele que mais investe nos diversos mercados de transferências, construindo sempre equipas competitivas para vencer as competições internas e tentar chegar o mais longe possível nas competições europeias. Mas esta época, onde em ano de eleições no clube, onde Luís Filipe Vieira venceu claramente, o Benfica investiu forte para vencer tudo em Portugal e também para chegar longe na Liga dos Campeões, mas o resultado final foi desastroso, com os encarnados a serem eliminados pelo PAOK na pré eliminatória da Champions, sendo relegado para a Liga Europa e a nível interno acabar o campeonato em 3º lugar e não conquistar qualquer título, nem Taça da Liga, nem Taça de Portugal, nem Supertaça.

Para a nação benfiquista e apesar da Covid 19 que assolou o plantel encarnado no mês de Janeiro, altura em que se definiu muito da época encarnada, chegar a Maio sem qualquer conquista após o investimento que se fez, é inaceitável e com isso a contestação ao treinador e ao presidente cresceu, e neste momento existem vários movimentos contra Vieira.

O Benfica que está habituado a ganhar é impensável estar uma época sem conquistas, o último campeonato conquistado foi em 18/19, a última Taça de Portugal em 17/18 e a última Taça da Liga em 15/16, sendo que a última Supertaça foi referente à época 18/19, para os benfiquistas esta pequena seca de títulos é algo que perante os fortes investimentos nos planteis é inadmissível.

 Nas redes sociais organizam-se vários eventos de contestação no Benfica e numa altura em que Luís Filipe Vieira, Jorge Jesus e Rui Costa já trabalham na preparação da próxima época e na reformulação do plantel, prevê-se um verão quente para os lados da Luz.
 A certeza é que as dúvidas são muitas, a contra informação imensa, se por um lado, os dirigentes encarnados querem atacar no mercado interno seguindo o exemplo do seu velho e vizinho rival, que tão bons resultados deu, já que o Sporting foi Campeão Nacional com um orçamento muito inferior 19 anos depois e apostando no mercado nacional.
 O treinador Jorge Jesus já deu indicações de que quer um meio campo diferente e mais forte, sendo que não existe naquela posição jogadores intransferíveis e o atleta mais seguro é mesmo aquele que chegou a ser dado no inicio da época como dispensável, o alemão Weigl. Na lista de transferências estão jogadores como Gabriel, Chiquinho, Samaris, Tarabaat e até mesmo o capitão Pizzi.

 Tudo isto terá de ser feito com o ruído de fundo da contestação dos adeptos, o protesto da oposição a Vieira e com a pressão de o Benfica ter de passar já as pré eliminatórias de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, para o Benfica voltar a entrar no trilho das vitórias e começar com o pé direito a época 21/22. 


Reportar artigo?

Comentários


<- Voltar